PROJETOS


- FERNANDO GRACIOLA - SOLO


Recital de violão interpretando obras de importantes compositores da música brasileira e latino-americana, além de arranjos e composições próprios do violonista.

Trabalho apresentado em palcos como os da UFSM (Santa Maria/RS), da UFPEL (Pelotas/RS), da Univates (Lajeado/RS), do Projeto Domingo Clássico (Estrela/RS) e da UNL – Universidad Nacional Del Litoral (Santa Fé, Argentina).


- VIOLÃO PAMPEANO


"Violão Pampeano" é um projeto solo do violonista Fernando Graciola, criado no ano de 2012 para apresentar o estilo de violão gaúcho e sul-americano desenvolvido no pampa do Rio Grande do Sul, a partir de permanente intercâmbio entre Brasil, Argentina e Uruguai.

Além de temas autorais do violonista, o repertório traz compositores brasileiros, argentinos e uruguaios, retratando os gêneros que transitam pelos 03 países – como milonga, chamamé, chamarrita, candombe e chacarera – e compõem a sonoridade da "guitarra" de uma região que é fronteira geográfica, mas ponto de união cultural.

O projeto também envolve também a realização de workshops e aulas temáticas. 


MAFUÁ TRIO INSTRUMENTAL


Formado em 2011 por Fernando Graciola (violão), Gabriel Opitz (bandolim) e Ronison Borba (acordeon), então colegas na faculdade de música da UFSM, que se reuniram para apresentar um repertório de caráter regional brasileiro e sul-americano com um tratamento camerístico e espaço para a improvisação.

Inicialmente, apresentou o espetáculo "Do Pampa ao Sertão", percorrendo gêneros como chamamé, tango, vaneira, valsa, samba, choro e baião, com um repertório de composições próprias e de autores consagrados, como Jacob do Bandolim, Guinga, Luiz Carlos Borges, Piazzolla e Hermeto Pascoal.

Em 2013, lançou o projeto "O Choro e a Milonga no Rio Grande do Sul", evidenciando a importância desses dois gêneros na formação da cultura gaúcha e brasileira, com temas autorais e releituras de compositores como Radamés Gnattali, Octávio Dutra, Yamandú, Avendano Jr. e Albino Manique.

No ano de 2015, o grupo foi selecionado em edital da Secretaria Estadual de Cultura do RS para financiamento da produção de seu 1º disco, "Arrebol".

Atualmente composto pelos idealizadores Fernando e Ronison e por Pedro Kaltbach (violino), o trio está trabalhando na gravação do referido CD, com produção de Pedrinho Figueiredo e previsão de lançamento ainda para 2017.

O trio atuou em palcos com o da FEISMA (Santa Maria/RS), da Semana Cultural Italiana junto ao Festival de Inverno da UFSM (Vale Vêneto/RS), da Fundação Ecarta - "Ecarta Musical" (Porto Alegre/RS), do Theatro Treze de Maio (Santa Maria/RS), da Univates - "Arte na Universidade" (Lajeado) e do foyer do Theatro São Pedro - "Musical Évora" (Porto Alegre/RS). Saiba mais


- QUINTETO CANJERANA


O “Quinteto Canjerana” foi concebido em 2012, por músicos do Vale do Taquari e da Serra Gaúcha, com o propósito de compor e executar temas instrumentais de cunho nativista gaúcho aliados a arranjos inovadores trazidos dos estudos de música contemporânea.

É formado por Zoca Jungs (guitarra e viola), Tiago Daiello (contrabaixo acústico), Lito Malaggi (bateria), Fernando Graciola (violão) e Maurício Horn (gaita botoneira).

Em 2014, lançou o seu primeiro disco, "Promessa".

Nos ano de 2015 e 2016, realizou turnê apresentando o CD em várias cidades do Rio Grande do Sul, com destaque para os palcos da UFSM (Santa Maria), do Teatro Pedro Parenti (Caxias do Sul), da Casa de Cultura Mário Quintana (Porto Alegre), do Instituto de Belas Artes IMBA (Bagé), da FURG (Rio Grande), do Teatro Múcio de Castro (Passo Fundo), do Café Fon Fon (Porto Alegre), da Casa de Artes Vila Mimosa (Canoas), do Fórum Social Mundial (Porto Alegre) e da Reitoria da UFRGS, Projeto Som no Salão (Porto Alegre).

Atualmente, o grupo trabalha na produção de seu segundo disco.

Saiba mais em www.canjerana.com.br ou em facebook.com/quintetocanjerana.


- SUL DO MUNDO


O “Sul do Mundo” é um projeto voltado para a pesquisa do cancioneiro sul-americano, mais precisamente do Brasil (Rio Grande do Sul), da Argentina e do Uruguai, mostrando as semelhanças musicais entre esses países integrantes do Mercosul.

Interpretando gêneros como a milonga, o chamamé, o candombe, a zamba, o gato e a chacarera, o grupo pretende explorar as diversas possibilidades - vocais e instrumentais - das referidas vertentes musicais, aplicando uma estética moderna sem descuidar dos referenciais do “folklore”.

Idealizado em 2011 pelo brasileiro Fernando Graciola (violão) e pela argentina María Paula Rodríguez (voz e flauta), o coletivo continua a ser reunir periodicamente promovendo um intercâmbio de músicos do Brasil e da Argentina, já tendo contado com a participação dos argentinos Gonzalo Diaz (bateria e percussão), Rodrigo Ariel Diaz (violão, baixo e voz), Fernando Silva (contrabaixo e cello), Sebastian Macchi (piano), Eugenio Zeppa (clarinete), Joaquín Welschen (guitarra) e Max Nese (percussão), bem como dos brasileiros Tiago Daiello (contrabaixo) e Maurício "Lito" Malaggi (bateria e percussão).

Trabalho apresentado na Argentina e no Brasil, com destaque para o Theatro Treze de Maio (Santa Maria/RS), o Foro Cultural da Universidad Nacional Del Litoral (Santa Fé, Argentina), o Espaço Cultural Casa de Bach (Lajeado/RS), o Projeto Sábado Sonoro (Encantado/RS), o Aldeia SESC Imembuy 2014 (Santa Maria/RS) e o Espaço Camarim (Santa Cruz do Sul/RS).  Saiba mais na página do projeto no Facebook.


- CAMERATA JOVEM VIOLÃO PAMPEANO


Projeto concebido em 2013 com o intuito de incentivar a prática de conjunto de alunos do violonista Fernando Graciola e levar ao público um repertório de cunho folclórico gaúcho, com arranjos voltados ao aprimoramento artístico dos estudantes de diversos níveis.

A camerata tem formação variável e realiza apresentações periódicas em eventos e entidades de Encantado e região.

Em 2016, o grupo excursionou por 10 municípios do estado do Rio Grande do Sul, integrando o projeto "Travessia - Música Instrumental".   Também realizou outras apresentações, com destaque para o projeto cultural "Medianeira Instrumental" (Santa Maria/RS).

Para o ano de 2017, a camerata - além de outras apresentações - prepara a circulação por 10 escolas de diferentes cidades gaúchas para apresentar "A história da música gaúcha em rodas de mate e violão" e projeto o início da pré-produção de um CD.



- PROJETOS ENCERRADOS


Seu Tonico na Ladeira



Formado em 2010 para realização da trilha sonora da peça teatral “Gabriela, cravo e canela”, sob a direção musical de Fernando Graciola, o grupo foi também integrado por Eveliny Pedroso (voz), Fernando Menino (bateria e percussão), Lucas Almeida (baixo) e Gabriel Opitz (bandolim e guitarra).

“Seu Tonico na Ladeira” apresentou um repertório voltado para a Música Popular Brasileira, visitando gêneros como samba, choro, bossa e canção.


Bossa iNOVA



Iniciado em 2008, sob a direção musical de Fernando Graciola, o projeto “Bossa iNOVA” é voltado para releituras de obras de Tom Jobim, Chico Buarque, Dorival Caymmi, entre outros compositores brasileiros.

Participaram das apresentações do projeto os músicos João Tavares Filho (piano), Luiz Martins (baixo), Fernando Menino (bateria), Paula Rodriguez (voz), Charles Tones (piano), Luis Silva (clarinete e sax soprano), Gabriel Opitz (bandolim), Marcelo Borba (percussão), Felipe Álvares (baixo).

Apresentado, dentre outros palcos, no Teatro Caixa Preta (UFSM), no Theatro Treze de Maio (Santa Maria/RS) e no Solar de las Artes (Santa Fé, Argentina).


Duo Balancim


Formado por Fernando Graciola (violão) e Luis Silva (clarinete), o duo interpretou arranjos instrumentais próprios para o cancioneiro brasileiro e para a música regional gaúcha.

Dentre suas apresentações, destacam-se as realizadas no projeto “Treze – o Palco da Cultura” (Theatro Treze de Maio – Santa Maria) e na II Semana de Música de Bento Gonçalves (Teatro Casa das Artes).